Impugnação de despedimento
 Rede MPL:
Página 1 de 2 12 ÚltimaÚltima
A mostrar resultados 1 para 30 de 41
Like Tree1Likes

Título: Impugnação de despedimento

  1. #1
    Piloto de Kart
    Data de Registo
    Aug 2010
    Posts
    100

    Por Defeito Impugnação de despedimento

    Boa noite.

    Dei hoje entrada no tribunal de trabalho com a impugnação do despedimento por não concordar com o mesmo, claro.
    Segundo o meu advogado este processo agora é tartado como urgente e é relativamente rápido.

    Caso alguém já tenha passado pelo mesmo ou que tenha conhecimento de alguma situação semelhante, poderá dizer-me quanto tempo levou desde a entrada do documento em tribunal até se ser chamado para a conferência entre as partes?

    Obrigada


  2. #2
    Piloto de Testes silat's Avatar
    Data de Registo
    Mar 2006
    Localização
    matosinhos
    Posts
    1,884

    Por Defeito

    Que tipo de processo é? Acção de processo comum ou entregaste o formulário na secretaria do tribunal?

  3. #3
    Piloto de Testes silat's Avatar
    Data de Registo
    Mar 2006
    Localização
    matosinhos
    Posts
    1,884

    Por Defeito

    Pelo que dás a entender entregaste o formulário portanto são 15 dias. "Artigo 98.º-F. Notificação para audiência de partes.
    1 - Recebido o requerimento, o juiz designa data para a audiência de partes, a realizar no prazo de 15 dias. "

  4. #4
    Piloto de Testes MonteiroRibas's Avatar
    Data de Registo
    Aug 2007
    Localização
    DUBAI
    Posts
    3,416

    Por Defeito

    não te preocupes, demore o tempo que demorar se tiveres razão o empregador será obrigado a pagar tudo, desde a data de despedimento até data da sentença.

    Se te assistir razão, pedes reintregração ou indemnização caso não queiras continuar a trabalhar lá.

  5. #5
    Piloto de Kart
    Data de Registo
    Aug 2010
    Posts
    100

    Por Defeito

    Eu entreguei o formulário. Espero que seja rápido e sejam os tais 15 dias mencionados pelo Silat e já agora obrigada pela ajuda.


    Thanks

  6. #6
    Piloto de Rallye Pastis's Avatar
    Data de Registo
    Jan 2010
    Localização
    葡萄牙
    Posts
    11,262

    Por Defeito

    Citação Originalmente Colocado por AJ2005 Ver Post

    Caso alguém já tenha passado pelo mesmo ou que tenha conhecimento de alguma situação semelhante, poderá dizer-me quanto tempo levou desde a entrada do documento em tribunal até se ser chamado para a conferência entre as partes?
    Das pessoas que conheço os sintomas são iguais aos teus: stress, ansiedade, muitas dúvidas impaciência e passado uns tempos... ansiolíticos.

    Nos casos em que as pessoas são reintegradas à força pelo tribunal: o resultado é inferno e mais ansiolíticos.

    Boa sorte na tua luta mas um conselho: procura outras coisas para investir tempo pois essas lutas só desgastam o trabalhador.

  7. #7
    Piloto de Testes setyoureyestozion's Avatar
    Data de Registo
    Feb 2007
    Localização
    Ando por ai
    Posts
    2,029

    Por Defeito

    Citação Originalmente Colocado por Pastis Ver Post
    Das pessoas que conheço os sintomas são iguais aos teus: stress, ansiedade, muitas dúvidas impaciência e passado uns tempos... ansiolíticos.

    Nos casos em que as pessoas são reintegradas à força pelo tribunal: o resultado é inferno e mais ansiolíticos.

    Boa sorte na tua luta mas um conselho: procura outras coisas para investir tempo pois essas lutas só desgastam o trabalhador.

    Claro que sim... e o empregador beneficia!

    ...se achas que tens razão... vai em frente!

  8. #8
    Piloto de Testes
    Data de Registo
    Nov 2005
    Localização
    Se tudo te parece normal, é porque não vais rápido...
    Posts
    2,979

    Por Defeito

    Não sei quanto tempo levou o caso em tribunal, mas sei que foi até ás últimas.

    Um colega conseguiu 25.000€, mais a reintegração no posto de trabalho, ou á escolha 35.000€ e levava os direitos todos, ele escolheu continuar na empresa, teve a consciência tranquila que foi um despedimento ilegal e claro, ficou provado que tinha sido, isto foi hã 10 anos atrás.

  9. #9
    Piloto de Kart
    Data de Registo
    Aug 2010
    Posts
    100

    Por Defeito

    Citação Originalmente Colocado por Pastis Ver Post
    Das pessoas que conheço os sintomas são iguais aos teus: stress, ansiedade, muitas dúvidas impaciência e passado uns tempos... ansiolíticos.

    Nos casos em que as pessoas são reintegradas à força pelo tribunal: o resultado é inferno e mais ansiolíticos.

    Boa sorte na tua luta mas um conselho: procura outras coisas para investir tempo pois essas lutas só desgastam o trabalhador.
    Felizmente não tive ainda que recorrer a mdeicação.
    Sim, estas lutas desgastam, mas não vou ser alvo de uma injustiça e ficar de braços cruzados. sair de lá com uma mão à frente e eoutra atrás nem pensar.
    Não forço propriamente a reintegração, se bem que a acontecer não irei ser persseguida e massacrada na empresa. É uma empresa muito grande e felizmente tenho o departamento a que pertenco do meu lado. Chefia e colegas, e isso faz muita diferença na nossa forma de encarar as coisas.

  10. #10
    Piloto de Kart
    Data de Registo
    Aug 2010
    Posts
    100

    Por Defeito

    nem a proposito, mas recebi hoje o postal dos CTT para ir levantar uma carta registada do Tribunal de Trabalho. Creio que seja a marcação da conferência entre as partes. Pelo menos esta parte ( desde a entrega dos doc no tribunal) foi rápida.

  11. #11
    Piloto de Kart
    Data de Registo
    Aug 2010
    Posts
    100

    Por Defeito

    Citação Originalmente Colocado por AJ2005 Ver Post
    nem a proposito, mas recebi hoje o postal dos CTT para ir levantar uma carta registada do Tribunal de Trabalho. Creio que seja a marcação da conferência entre as partes. Pelo menos esta parte ( desde a entrega dos doc no tribunal) foi rápida.


    E pronto está marcada a conferência entre as partes para Outubro. mais uma etapa.
    experiências de quem passou pelo meno? ou de que tenha conhecimento?
    Pelo que sei agora é a tentativa de acordo entre as partes, que o juíz tenta que aconteca

  12. #12
    Piloto de Rallye ESPRIT's Avatar
    Data de Registo
    Apr 2006
    Localização
    Lisboa, , Portugal.
    Posts
    14,026

    Por Defeito

    Se estiverres disponivel a isso, creio que seria útil partilhares o teu caso, para que outras pessoas pessoas possam beneficiar de saber os procedimentos a efectuar.

    Isto claro se estiveres disposta a partilhar um pouco da tua vida.

  13. #13
    Piloto de Kart
    Data de Registo
    Aug 2010
    Posts
    100

    Por Defeito

    Citação Originalmente Colocado por ESPRIT Ver Post
    Se estiverres disponivel a isso, creio que seria útil partilhares o teu caso, para que outras pessoas pessoas possam beneficiar de saber os procedimentos a efectuar.

    Isto claro se estiveres disposta a partilhar um pouco da tua vida.
    Ao fim de uma década de serviço numa grande empresa fui despedida por justa causa, supostamente, e assim o alegam.
    Nada melhor do que alegar uma justa causa principalmente numa altura em que a empresa tem vindo a reduzir efectivos (convidados a sair por mútuo acordo), e em que muitos não aceitam. Sendo que eu nunca fui "convidada a sair".
    Sempre desempenhei bem as minhas funções, o que se reflectiu nas minhas avaliações ao longo dos anos.
    Fui chamada aos Rec Humanos da empresa para o que designam de inquérito prévio, para se apurarem os factos. CONSELHO ÚTIL: NÃO RESPONDAM. NÃO SÃO OBRIGADOS E ACONSELHEM-SE PRIMEIRO COM UM ADVOGADO.
    Eu, na minha boa fé, respondi.
    Passaram-se semanas.
    Foi-me então entregue a designada Nota de Culpa à qual tive que dar resposta escrita no prazo de 10 dias úteis e onde poderia arrolar testemunhas. Assim fiz e procedi à respectiva resposta arrolando testemunhas entre as quais a minha chefia.

    Após recepção da resposta foi marcada pelo advogado nomeado instrutor do processo por parte da minha empresa a audição dessas testemunhas. Isto no escritorio de advogados. Nada de tribunal até esta altura.
    ATENÇÃO: A ENTIDADE PATRONAL NÃO É OBRIGADA A OUVIR AS TESTEMUNHAS ARROLADAS MAS CASO SE RECUSE TEM DEPOIS DE JUSTIFICAR O PORQUÊ.

    Testemunhas ouvidas e tudo o que disseram foi em meu favor incluindo a minha chefia.

    E aguardei o veredicto final. ATENÇÃO: DURANTE TODO ESTE PROCESSO CONTINUEI SEMPRE A SER REMUNERADA POIS ENQUANTO NÃO HÁ O DESPEDIMENTO EM SI ASSIM SÃO OBRIGADOS.

    Passado um mês chega a resposta da entidade patronal a comunicar a decisão de despedimento e onde enumeram todos os factos, nada mais nada menos do que o que já tinham colocado anterioermente na Nota de Culpa. Foi uma cópida à descarada. Continuando a alegar inclusivé alguns factos, que além de não corresponderem à verdade, já teriam até perscrito (apesar de eu o ter mencionado na resposta à nota de culpa fui completamente ignorada)

    decidido pela entidade patronal o despedimento sem qualquer direito a indemnização ou compensação por ser com justa causa, conforme indicam, procedem ao acerto de contas e remetem-me a documentação que me pertence. Como por ex o doc para requerer subsídio de desemprego. ATENÇÃO: SENDO DESPEDIMENTO POR JUSTA CAUSA COMO A EMPRESA COLOCA NO REFERIDO DOCUMENTO, SÓ SE TEM DIREITO A REQUERER SUBS DESEMPREGO APÓS CONTESTAR O DESPEDIMENTO DANDO ENTRADA DE UM FORMULÁRIO PROPRIO NO TRIBUNAL DE TRABALHO.
    depois com esse formulário carimbado pelo tribunal e o doc enviado pela empresa poderemos requerer o subsídio.
    São 60 dias de que o trabalhor dispõe para entregar este doc em tribunal, a designada Impugnação de Despedimento.

    De seguida aguarda-se que o trib Trabalho nos notifique para o que se chama conferência ou audiência entre as partes. Onde irá estar o juíz. Alguém da minha empresa e advogado, eu e o meu advogado.
    ATENÇÃO: ATÉ ESTA ALTURA E PARA ESTA CONFERÊNCIA ENTRE AS PARTES NÃO É NECESSÁRIO LEVAR ADVOGADO CONSTITUÍDO, EMBORA ACONSELHE VIVAMENTE.

    Se nesta conferência não houver acordo, que pelo que sei, é o aconselhado pelo juíz, parte-se para julgamento.
    Última edição por AJ2005 : 21-09-10 às 13:59:04

  14. #14
    Piloto de Testes Joaobernardo's Avatar
    Data de Registo
    Jan 2006
    Localização
    almada, , Portugal.
    Posts
    4,557

    Por Defeito

    Citação Originalmente Colocado por AJ2005 Ver Post
    Ao fim de uma década de serviço numa grande empresa fui despedida por justa causa, supostamente, e assim o alegam.
    Nada melhor do que alegar uma justa causa principalmente numa altura em que a empresa tem vindo a reduzir efectivos (convidados a sair por mútuo acordo), e em que muitos não aceitam. Sendo que eu nunca fui "convidada a sair".
    Sempre desempenhei bem as minhas funções, o que se reflectiu nas minhas avaliações ao longo dos anos.
    Fui chamada aos Rec Humanos da empresa para o que designam de inquérito prévio, para se apurarem os factos. CONSELHO ÚTIL: NÃO RESPONDAM. NÃO SÃO OBRIGADOS E ACONSELHEM-SE PRIMEIRO COM UM ADVOGADO.
    Eu, na minha boa fé, respondi.
    Passaram-se semanas.
    Foi-me então entregue a designada Nota de Culpa à qual tive que dar resposta escrita no prazo de 10 dias úteis e onde poderia arrolar testemunhas. Assim fiz e procedi à respectiva resposta arrolando testemunhas entre as quais a minha chefia.

    Após recepção da resposta foi marcada pelo advogado nomeado instrutor do processo por parte da minha empresa a audição dessas testemunhas. Isto no escritorio de advogados. Nada de tribunal até esta altura.
    ATENÇÃO: A ENTIDADE PATRONAL NÃO É OBRIGADA A OUVIR AS TESTEMUNHAS ARROLADAS MAS CASO SE RECUSE TEM DEPOIS DE JUSTIFICAR O PORQUÊ.

    Testemunhas ouvidas e tudo o que disseram foi em meu favor incluindo a minha chefia.

    E aguardei o veredicto final. ATENÇÃO: DURANTE TODO ESTE PROCESSO CONTINUEI SEMPRE A SER REMUNERADA POIS ENQUANTO NÃO HÁ O DESPEDIMENTO EM SI ASSIM SÃO OBRIGADOS.

    Passado um mês chega a resposta da entidade patronal a comunicar a decisão de despedimento e onde enumeram todos os factos, nada mais nada menos do que o que já tinham colocado anterioermente na Nota de Culpa. Foi uma cópida à descarada. Continuando a alegar inclusivé alguns factos, que além de não corresponderem à verdade, já teriam até perscrito (apesar de eu o ter mencionado na resposta à nota de culpa fui completamente ignorada)

    decidido pela entidade patronal o despedimento sem qualquer direito a indemnização ou compensação por ser com justa causa, conforme indicam, procedem ao acerto de contas e remetem-me a documentação que me pertence. Como por ex o doc para requerer subsídio de desemprego. ATENÇÃO: SENDO DESPEDIMENTO POR JUSTA CAUSA COMO A EMPRESA COLOCA NO REFERIDO DOCUMENTO, SÓ SE TEM DIREITO A REQUERER SUBS DESEMPREGO APÓS CONTESTAR O DESPEDIMENTO DANDO ENTRADA DE UM FORMULÁRIO PROPRIO NO TRIBUNAL DE TRABALHO.
    depois com esse formulário carimbado pelo tribunal e o doc enviado pela empresa poderemos requerer o subsídio.
    São 60 dias de que o trabalhor dispõe para entregar este doc em tribunal, a designada Impugnação de Despedimento.

    De seguida aguarda-se que o trib Trabalho nos notifique para o que se chama conferência ou audiência entre as partes. Onde irá estar o juíz. Alguém da minha empresa e advogado, eu e o meu advogado.
    ATENÇÃO: ATÉ ESTA ALTURA E PARA ESTA CONFERÊNCIA ENTRE AS PARTES NÃO É NECESSÁRIO LEVAR ADVOGADO CONSTITUÍDO, EMBORA ACONSELHE VIVAMENTE.

    Se nesta conferência não houver acordo, que pelo que sei, é o aconselhado pelo juíz, parte-se para julgamento.



    Fizeste bem em não desistir!!!
    Tambem passei por um processo muito parecido ao teu, nota de culpa etc..............mas como sempre tive a razão do meu lado....rolo compressor para cima "deles"


  15. #15
    Piloto de Kart
    Data de Registo
    Aug 2010
    Posts
    100

    Por Defeito

    Citação Originalmente Colocado por Joaobernardo Ver Post
    Fizeste bem em não desistir!!!
    Tambem passei por um processo muito parecido ao teu, nota de culpa etc..............mas como sempre tive a razão do meu lado....rolo compressor para cima "deles"


    LOL!!!

    E como ficou resolvido?
    Chegaram a acordo na audiência das partes ou teve que seguir pra julgamento?

  16. #16
    Piloto de Kart
    Data de Registo
    Aug 2010
    Posts
    100

    Por Defeito

    Mais alguém que tenha passado por esta (má) experiência ou tenha conhecimento de algo nos mesmos trâmites e que possa partilhar?

    Começo a ficar ansiosa

  17. #17
    Piloto de Provas de Perícia
    Data de Registo
    Feb 2010
    Posts
    687

    Por Defeito

    Como já disseram, se depois houver re-integração na empresa o ambiente é horrível.

    E ainda alguns acham boa ideia facilitar o despedimento.

  18. #18
    Banido Pitest's Avatar
    Data de Registo
    Jul 2007
    Localização
    Portugal Nação Valente
    Posts
    5,616

    Por Defeito

    Citação Originalmente Colocado por cpgt Ver Post
    Como já disseram, se depois houver re-integração na empresa o ambiente é horrível.

    E ainda alguns acham boa ideia facilitar o despedimento.

    Depende. Este não parece ser o caso, uma vez que no departamento dela, tem os colegas e chefia do seu lado, o que é uma grande ajuda nesta luta.

  19. #19
    Piloto de Testes Joaobernardo's Avatar
    Data de Registo
    Jan 2006
    Localização
    almada, , Portugal.
    Posts
    4,557

    Por Defeito

    Chegamos a acordo antes do julgamento!!!
    Voltei são e salvo e com o dobro do respeito!!!

  20. #20
    Piloto de Kart
    Data de Registo
    Aug 2010
    Posts
    100

    Por Defeito

    A minha principal questão é, se por norma, há acordo (quer seja reintegração ou indemnização) nesta audiência das partes ou se é comum a coisa avançar para julgamento.

  21. #21
    Piloto de Provas de Perícia
    Data de Registo
    Feb 2010
    Posts
    687

    Por Defeito

    Citação Originalmente Colocado por Pitest Ver Post
    Depende. Este não parece ser o caso, uma vez que no departamento dela, tem os colegas e chefia do seu lado, o que é uma grande ajuda nesta luta.
    Pois, mas quando são pequenas empresas, em que não há chefia mas apenas patrões, ou até patrão, é diferente.

  22. #22
    Piloto de Kart
    Data de Registo
    Aug 2010
    Posts
    100

    Por Defeito

    Para já não houve acordo... foi tudo muito rápido. O advogado da outra parte e o meu falaram 2 minutos antes de entrarmos. O que disse foi que hoje pelo menos ainda não havia acordo.... (não sei se vai haver)

    Ora perguntou o juíz o que pretendo: reintegração (embora não necessariamente), mas a conselho do advogado é de bom tom demonstrar que se quer trabalhar. Quem respondeu até foi o advogado.
    O juíz pergunta se houve acordo . Resposta unânime não. Nem discussão houve. LOL

    Agora a empresa terá que enviar o processo disciplinar de que fui alvo e referir novamente o motivo do despedimento. O meu advogado irá contrapôr, claro.

    E marcou-se nova data.

    Como disse o meu advogado , muita água irá agora correr, e não significa que não se consiga ainda chegar a um acordo.

    O que me dizem. Partilhem experiências ou conhecimentos de situações semelhantes, please

  23. #23
    Piloto Lendário Valium's Avatar
    Data de Registo
    Jul 2003
    Localização
    Lisboa
    Posts
    33,554

    Por Defeito

    Bem quanto aos prazos etc. a pessoa mais indicada para responder é o teu advogado.

    É muito dificil opinar alguma coisa, depende do motivo do despedimento (alegado) e até onde a entidade patronal estará disposta a ir.
    Chegar a acordo por norma sucede antes do julgamento

    A reintegração também depende muito da postura de ambas as partes, há por aí situações em que a reintegração é bem pior que o "despedimento" em si...

    Há a recordar que a lei protege a parte mais fraca (de acordo com a lei), o trabalhador, e não sendo realmente plausível o despedimento, o vencimento da acção é o mais provável.

  24. #24
    Piloto de Provas de Perícia
    Data de Registo
    Feb 2010
    Posts
    687

    Por Defeito

    E em caso de ganhar o trabalhador, quem paga o advogado deste? Até acabar o processo qual a fonte de rendimentos do trabalhador?

  25. #25
    Piloto de Kart
    Data de Registo
    Aug 2010
    Posts
    100

    Por Defeito

    Citação Originalmente Colocado por cpgt Ver Post
    E em caso de ganhar o trabalhador, quem paga o advogado deste? Até acabar o processo qual a fonte de rendimentos do trabalhador?

    Quanto à 1ª pergunta não sei responder. Em relação à 2ª a fonte de rendimentos até terminar será receber o subsídio de desemprego. Que quando é despedimento por justa causa, não se tem direito a tal excepto se o trabalhador fizer prova de que intentou acção de impugnação de despedimento e fiz. Já entreguei os documentos todos no centro de emprego que remete tudo para a seg social e demora depois algum tempo até se receber.

    Até lá pode-se pedir apoio judicial à seg social, neste caso, como já tenho advogado que eu arranjei, poderei pedir apenas isenção das custas judiciais ( e fica sujeito a analise pq a segurança social vai ver tudo o que temos ou não temos).

    E entretanto honorários paga aqui o mexilhão

  26. #26
    Piloto de Kart
    Data de Registo
    Aug 2010
    Posts
    100

    Por Defeito

    Citação Originalmente Colocado por Valium Ver Post
    Bem quanto aos prazos etc. a pessoa mais indicada para responder é o teu advogado.

    É muito dificil opinar alguma coisa, depende do motivo do despedimento (alegado) e até onde a entidade patronal estará disposta a ir.
    Chegar a acordo por norma sucede antes do julgamento

    A reintegração também depende muito da postura de ambas as partes, há por aí situações em que a reintegração é bem pior que o "despedimento" em si...

    Há a recordar que a lei protege a parte mais fraca (de acordo com a lei), o trabalhador, e não sendo realmente plausível o despedimento, o vencimento da acção é o mais provável.

    ora bem, já há data marcada para Janeiro. Até lá entidade patronal tem 15 dias para fazer chegar ao tribunal o processo disciplinar e indicar o motivo de despedimento e depois o meu advogado tem 10 dias, creio, para consultar o processo disciplinar e contrapor em minha defesa.

    pelo que me consta é durante este periodo que entretanto se chega a acordo. Sucedeu tal e qual com um ex funcionário que passou por um processo semelhante

  27. #27
    Piloto de Kart
    Data de Registo
    Aug 2010
    Posts
    100

    Por Defeito Queixa na PSP

    Olá a todos,

    Como já por aqui tinha referido fui despedida por justa causa, segundo alega a minha entidade patronal. Como a tal justa causa não é justa, digamos assim, intentei uma acção contra a empresa e a coisa está neste momento no Tribunal de Trabalho a aguardar pela data já marcada que será só no próximo ano.

    Esta justa causa alegada pela entidade patronal foi devido a uma "falsa" queixa/reclamação/ denúncia (não sei bem que nome empregar) de uma pessoa que agiu de má fé, apontou-me uma série de calúnias e atentado ao meu bom nome pois com as declarações falsas que prestou denegriu o meu nome e imagem, mesmo entre colegas pois estas coisas comentam-se, infelizmente e quem conta um conto acrescenta um ponto, sendo que é uma empresa muito grande.

    Tenho um advogado a tratar do assunto com a empresa, e o mesmo aconselhou-me a fazer uma queixa à PSP ,desta pessoa que agiu tão de má fé, que até pretendia que as queixas caluniosas que fez à minha entidade patronal fossem anónimas e não me fosse divulgada a sua origem.

    Como estou perto do prazo limite para apresentar queixa contra esta pessoa gostaria de ter opiniões de quem já fez o mesmo ou tem conhecimento de algo semelhante.

    Obrigada desde já

  28. #28
    Piloto de Testes Bruxa's Avatar
    Data de Registo
    Sep 2003
    Localização
    Santa Marta do Pinhal ,Portugal.
    Posts
    1,181

    Por Defeito

    Boas... Nunca tive conhecimento de nada assim, mas penso que se fosse comigo, ia até onde tivesse de ir...

    Desejo-te boa sorte na resolução de todo este caso.

  29. #29
    Piloto de Testes AdolfoSDias's Avatar
    Data de Registo
    Jul 2009
    Localização
    Leiria
    Posts
    2,820

    Por Defeito

    Se:

    - Essa pessoa o fez com "maldade" e
    - Tenhas algo mais para apresentar além da "palavra contra palavra" em caso de seguir para tribunal (por exemplo testemunhas válidas e que estejam dispostas a testemunhar),

    o meu conselho é que avances para a queixa.

    Se não conseguires mais do que a tua palavra contra a da outra pessoa, arriscas-te a travar uma batalha para nada. E mesmo que ganhes, não deves ganhar muito, mas pelo menos a pessoa que cometeu o crime não se fica a rir e pensa 2 vezes antes da próxima.

    Também deves ponderar se isso te traria inconvenientes na tua vida pessoal/profissional, pois ainda há muita gente, infelizmente, que considera o recurso à justiça como mesquinho.

  30. #30
    Piloto Lendário Valium's Avatar
    Data de Registo
    Jul 2003
    Localização
    Lisboa
    Posts
    33,554

    Por Defeito

    Se o teu advogado, que presumo confies, com todos os elementos do processo que dispoem - ao contrário de nós -, aconselhou a fazer isso, lá saberá melhor que ninguém, parece-me.

    Agora o que foi dito anteriormente parece-me importante, para não incorrers em gasto (de tempo, paciência e €€) para nada.

    Já agora, uma vez que esta situação é a mesma que do outro tópico, vai para lá passar, não faz sentido abrir outros tópicos só por uma questão.

Página 1 de 2 12 ÚltimaÚltima

Tópicos semelhantes

  1. carta de impugnação
    Por nbynwfbq na secção FÓRUM GERAL
    Respostas: 30
    Último Post: 03-09-10, 14:55:25
  2. Respostas: 15
    Último Post: 04-08-09, 07:48:06
  3. despedimento
    Por rafael_anjos na secção OFF Topic
    Respostas: 1
    Último Post: 18-10-08, 07:18:27
  4. Respostas: 96
    Último Post: 06-01-08, 14:06:52
  5. Despedimento de...
    Por Zell na secção OFF Topic
    Respostas: 31
    Último Post: 28-09-06, 15:05:07

Regras de Colocação

  • Não pode criar tópicos
  • Não pode responder
  • Não pode colocar anexos
  • Não pode editar os seus posts
  •  

A Motorpress Lisboa S.A. não pode ser responsabilizada pelas opiniões, imagens, links ou outros conteúdos submetidos pelos utilizadores deste Fórum.
Este Website encontra-se registado na Comissão Nacional de Protecção de Dados.