Tópico do Ayrton Senna - Página 5
 Rede MPL:
Página 5 de 40 PrimeiraPrimeira ... 45615 ... ÚltimaÚltima
A mostrar resultados 121 para 150 de 1178

Título: Tópico do Ayrton Senna

  1. #121
    Banido peras777's Avatar
    Data de Registo
    Aug 2006
    Localização
    Cartaxo, Portugal
    Posts
    1,411

    Thumbs up Um Link interessante sobre AYRTON SENNA DA SILVA

    Para Todos os Fans (e não só) do Ayrton, descobri aqui um link que é capaz de ser interessante para ficarem a conhecer melhor a história dentro e fora das Pistas deste Craque do Automobilismo Mundial...


    http://globoesporte.globo.com/ESP/No...7-7170,00.html



    Ayrton Sempre!


  2. #122
    Piloto de Troféu
    Data de Registo
    Sep 2004
    Localização
    Coimbra, Portugal
    Posts
    6,183

    Por Defeito

    Citação Originalmente Colocado por Manuel Barbosa Ver Post
    Que a grandeza não se mede em titulos estou perfeitamente de acordo, o tal mestre Lauda também é conhecido por de vez em quando se sair com umas "bacuradas" valentes por isso não podemos acreditar muito no que ele diz, ainda a pouco se lembrou de dizer que nos F1 actuais até um chimpamze conseguia bons resultados.

    Nem todos benefeciam da experiencia para cometer menos erros , o Senna sempre foi prova disso é o que acontece normalmente a pilotos muito dotados a nivel de pilotagem, como arriscam mais teem tendencia para a manobras mirabolantes erram com mais facilidade.
    Mas ser frio e cerebral não é defeito, é geralmente esses que são recordados pelos titulos como é o caso do Schummi, vai ser lembrado porque? pelos titulos e pelas manhas pouco "limpas" que sempre tentou usar como com Hill, com o Villeneuve ou o hilariante "estacionanço" do ano passado em Monte Carlo.

    A chuva não era o ponto mais forte do Prost mas também não era nenhum "nabo" era um piloto normal, mas por a chuva ser o seu ponto mais fraco não significa que não continue a ser o mais completo, havia outros que eram muito bons a chuva e depois falhavam em areas onde o Prost era muito forte e eu nunca disse que o Prost era perfeito, a perfeição não existe, o Prost era apenas o mais completo tinha pontos fortes e não tinha pontos muito fracos.

    Acerca de 89 diz-me estes anos todos que ando a ver F1 que naquele sitio só se passa se quem for a frente colaborar, ora o Prost não colaborou por isso aconteceu o que geralmente acontece quando se quer ultrapassar num sitio onde não cabe o carro e depois o Senna ainda cometeu o erro infantil de ir atalhar caminho pela escapatoria, o Prost era conhecido também por ser grande mafioso fora das pistas não deixou passar esse facto em claro e ganhou o titulo na secretaria.

    "Fangio, Clark, Senna ou o Schumacher" se a grandeza não se mede pelos titulos não percebo o que faz o Schummi aqui neste grupo.
    Não vou comentar de novo o famoso episódio de 89, isso já por aí foi discutidíssimo, e também partilho da opinião de que o Prost defendeu legitimente a sua trajectória num ponto de ultrapassagem impossível, tanto mais que era uma corrida muito importante para o título e não tinha nenhuma obrigação de abrir para deixar passar. Isso fez ele muitas vezes para evitar acidentes, e por isso era um piloto correcto em pista.

    O que vou comentar é mais uma vez o eterno lapso que as pessoas cometem ao dizer que o Prost ganhou o campeonato com esta manobra. Falso. O Senna tinha de ganhar esta corrida e a última na Austrália para ser campeão, e ainda antes de se saber que tinha sido desclassificado no Japão, no GP da Austrália espetou-se contra um retardatário quando comandava. Portanto nunca seria campeão nesse ano mesmo que não viesse a ser desclassificado. Isto faz toda a diferença mas ninguém se lembra.

    Um grande piloto, mas como já disseram tinha o problema de cometer erros com alguma frequência. Aliás, mesmo no ano em que na Mclaren ganhou o campeonato ao Prost, isso apenas aconteceu devido às regras da época em que era o sistema de pontos previa deitar fora os piores resultados; na realidade o Prost fez mais pontos durante a época.

    O Senna para mim cometeu a manobra mais vergonhosa de toda a F1, quando em 90, se não erro, numa situação de campeonato inversa com o Prost (que já estava na Ferrari e precisava de ganhar as duas últimas corridas), no Japão arranca atrás do Prost e na primeira curva chega-se apenas o suficiente para tocar com o bico nas rodas traseiras do Prost, atirando com os dois fora da pista. Não há um esboço de ultrapassagem, de situação de corrida, nada, apenas intenção pura de arrumar o campeonato. Foi uma manobra que hoje daria irradiação da modalidade.

  3. #123
    Banido peras777's Avatar
    Data de Registo
    Aug 2006
    Localização
    Cartaxo, Portugal
    Posts
    1,411

    Por Defeito

    Para quem gosta de formula 1 antiga e não só há aqui um tópico com com uns MODS (para quem não sabe um mod é uma modificação da jogabilidade num jogo original) do tempo de SENNA e Companhia para o jogo Grand Prix 2 e Grand Prix 4. Neste momento estou na temporada de 1986 do GP4, está muito bom este MOD.

    Quem estiver interessado va a este link

    http://forum.autohoje.com/showthread...ighlight=senna

  4. #124
    Piloto de Kart
    Data de Registo
    Mar 2007
    Posts
    58

    Por Defeito

    Citação Originalmente Colocado por LuisNeves Ver Post
    Não vou comentar de novo o famoso episódio de 89, isso já por aí foi discutidíssimo, e também partilho da opinião de que o Prost defendeu legitimente a sua trajectória num ponto de ultrapassagem impossível, tanto mais que era uma corrida muito importante para o título e não tinha nenhuma obrigação de abrir para deixar passar. Isso fez ele muitas vezes para evitar acidentes, e por isso era um piloto correcto em pista.

    O que vou comentar é mais uma vez o eterno lapso que as pessoas cometem ao dizer que o Prost ganhou o campeonato com esta manobra. Falso. O Senna tinha de ganhar esta corrida e a última na Austrália para ser campeão, e ainda antes de se saber que tinha sido desclassificado no Japão, no GP da Austrália espetou-se contra um retardatário quando comandava. Portanto nunca seria campeão nesse ano mesmo que não viesse a ser desclassificado. Isto faz toda a diferença mas ninguém se lembra.

    Um grande piloto, mas como já disseram tinha o problema de cometer erros com alguma frequência. Aliás, mesmo no ano em que na Mclaren ganhou o campeonato ao Prost, isso apenas aconteceu devido às regras da época em que era o sistema de pontos previa deitar fora os piores resultados; na realidade o Prost fez mais pontos durante a época.

    O Senna para mim cometeu a manobra mais vergonhosa de toda a F1, quando em 90, se não erro, numa situação de campeonato inversa com o Prost (que já estava na Ferrari e precisava de ganhar as duas últimas corridas), no Japão arranca atrás do Prost e na primeira curva chega-se apenas o suficiente para tocar com o bico nas rodas traseiras do Prost, atirando com os dois fora da pista. Não há um esboço de ultrapassagem, de situação de corrida, nada, apenas intenção pura de arrumar o campeonato. Foi uma manobra que hoje daria irradiação da modalidade.
    Concordo plenamente que foi vergonhoso e que não há desculpas para uma actuação dessas. O Senna em 91 procurou justificar-se, entendo que se tenha sentido injustiçado mas nada permite manobras como aquelas.

    Em minha opinião o Senna tenta meter o carro por dentro e não directamente na traseira. claro que não havia espaço e que não altera nada da gravidade do caso.
    Última edição por Lagaffe : 17-06-07 às 17:41:44

  5. #125
    Piloto Lendário Omega's Avatar
    Data de Registo
    Feb 2003
    Posts
    30,188

  6. #126
    Banido peras777's Avatar
    Data de Registo
    Aug 2006
    Localização
    Cartaxo, Portugal
    Posts
    1,411

    Por Defeito

    Atencão que no video completo o Senna Prometeu ao Japones que o segundo round seria no Brasil em 1994... Caso para dizer é preciso ter azar, no dia que era para ser o 2º raund recebeu em casa o capacete que o senna lhe tinha prometido, mesmo depois de morto o SENNA cumpriu a promessa, ESPECTACULO!!!!

  7. #127
    Banido
    Data de Registo
    Jul 2007
    Posts
    3

    Por Defeito

    [no dia do funeral de senna tudo parou,ate a minha festa de anos
    amava ver o senna na pista

  8. #128
    Piloto de Testes joaobras's Avatar
    Data de Registo
    Jun 2007
    Posts
    2,270

    Por Defeito

    Citação Originalmente Colocado por LuisNeves Ver Post
    Não vou comentar de novo o famoso episódio de 89, isso já por aí foi discutidíssimo, e também partilho da opinião de que o Prost defendeu legitimente a sua trajectória num ponto de ultrapassagem impossível, tanto mais que era uma corrida muito importante para o título e não tinha nenhuma obrigação de abrir para deixar passar. Isso fez ele muitas vezes para evitar acidentes, e por isso era um piloto correcto em pista.

    O que vou comentar é mais uma vez o eterno lapso que as pessoas cometem ao dizer que o Prost ganhou o campeonato com esta manobra. Falso. O Senna tinha de ganhar esta corrida e a última na Austrália para ser campeão, e ainda antes de se saber que tinha sido desclassificado no Japão, no GP da Austrália espetou-se contra um retardatário quando comandava. Portanto nunca seria campeão nesse ano mesmo que não viesse a ser desclassificado. Isto faz toda a diferença mas ninguém se lembra.

    Um grande piloto, mas como já disseram tinha o problema de cometer erros com alguma frequência. Aliás, mesmo no ano em que na Mclaren ganhou o campeonato ao Prost, isso apenas aconteceu devido às regras da época em que era o sistema de pontos previa deitar fora os piores resultados; na realidade o Prost fez mais pontos durante a época.

    O Senna para mim cometeu a manobra mais vergonhosa de toda a F1, quando em 90, se não erro, numa situação de campeonato inversa com o Prost (que já estava na Ferrari e precisava de ganhar as duas últimas corridas), no Japão arranca atrás do Prost e na primeira curva chega-se apenas o suficiente para tocar com o bico nas rodas traseiras do Prost, atirando com os dois fora da pista. Não há um esboço de ultrapassagem, de situação de corrida, nada, apenas intenção pura de arrumar o campeonato. Foi uma manobra que hoje daria irradiação da modalidade.

    já tenho visto aqui muita coisa a cerca de suzuka 89 e 90 e nem vou dar a minha opiniao porque acho que não vale a pena mas fica aqui uma correcção:a descassificação de senna em 89 foi passado 1,00h da corrida no japão acabar e não depois do grande premio da australia,senna foi desclassificado não pelo acidente em si mas por ter cortado a chicane devido ao motor do carro ter ido abaixo e os comissarios de pista o terem empurrado cortando a chicane,uma das pessoas que mais criticou a manobra foi o presidente da fia de então que era o sr ballestre e que por acaso era françes tal como prost,e quem acha que em 90 foi a manobra mais vergonhosa da f1 fica aqui outra nota:
    senna queria sair do lado limpo da pista(o piloto que tinha a pole como era o caso podia escolher o lado da pista)e nesse grande premio foi-lhe negada essa opção depois de ele ter pedido para sair do lado limpo da pista,o que não desculpa a manobra mas sendo regra na altura não se compreende o porque dessa decisão.
    e para quem acha que foi a manobra mais vergonhosa da f1 de certeza que não se lembra do acidente em 94 do shumacher com o hill que valeu o titulo ao alemão em que shumacher depois de bater no muro e ter o carro danificado espera por o hill e vira-lhe o carro para cima quando ele vai a passar valendo isso o titulo mundial a shumacher.

  9. #129
    Piloto Lendário Omega's Avatar
    Data de Registo
    Feb 2003
    Posts
    30,188

    Por Defeito

    Como já referi por outras palavras este video resume indirectamente toda a carreira do Senna.
    A parte final então diz tudo .....

    http://www.youtube.com/watch?v=Gsb5I...related&search

  10. #130
    Piloto de Testes joaobras's Avatar
    Data de Registo
    Jun 2007
    Posts
    2,270

    Por Defeito

    Citação Originalmente Colocado por Omega Ver Post
    Como já referi por outras palavras este video resume indirectamente toda a carreira do Senna.
    A parte final então diz tudo .....

    http://www.youtube.com/watch?v=Gsb5I...related&search
    sem ajudas electronicas senna conseguia fazer milagres,ainda me recordo dos engenheiros dos lotus renault dizerem que não era possivel fazer tempos melhores do que aqueles que ele já tinha feito numa volta para a pole, entretanto senna ia para a pista e batia o seu tempo em meio segundo e eles não percebiam de onde ele tinha tirado aquele meio segundo,ou seja ele fazia do impossivel possivel

  11. #131
    Piloto Lendário Omega's Avatar
    Data de Registo
    Feb 2003
    Posts
    30,188

    Por Defeito


  12. #132
    Piloto Lendário Omega's Avatar
    Data de Registo
    Feb 2003
    Posts
    30,188

    Por Defeito


  13. #133
    Piloto Lendário Omega's Avatar
    Data de Registo
    Feb 2003
    Posts
    30,188

    Por Defeito


  14. #134
    Piloto de Testes mariosilva's Avatar
    Data de Registo
    Aug 2006
    Localização
    Portugal.
    Posts
    2,527

    Por Defeito

    Citação Originalmente Colocado por Omega Ver Post
    Não conhecia este capacete.. O Senna chegou a usá-lo?

  15. #135
    Piloto de Rallye GJP's Avatar
    Data de Registo
    Feb 2006
    Localização
    Na terra onde passava ferias D. Maria II
    Posts
    11,444

    Por Defeito

    Citação Originalmente Colocado por mário silva Ver Post
    Não conhecia este capacete.. O Senna chegou a usá-lo?
    acho que n... eu n me lembro

  16. #136
    Piloto Lendário Omega's Avatar
    Data de Registo
    Feb 2003
    Posts
    30,188

    Por Defeito

    Não.
    Isto penso que foi uma homenagem que alguém lhe fez ....

  17. #137
    Piloto Lendário Omega's Avatar
    Data de Registo
    Feb 2003
    Posts
    30,188

    Por Defeito

    Já agora um video fabuloso em 3D.....

    http://www.youtube.com/watch?v=bCmFHVtnNo0


  18. #138
    Piloto de Fórmula 1
    Data de Registo
    Aug 2004
    Localização
    Lisboa, , Portugal.
    Posts
    15,675

    Por Defeito

    simplesmente, inigualável....

  19. #139
    Piloto Lendário Omega's Avatar
    Data de Registo
    Feb 2003
    Posts
    30,188

  20. #140
    Piloto Lendário Omega's Avatar
    Data de Registo
    Feb 2003
    Posts
    30,188

  21. #141
    Piloto de Kart HenryMuller's Avatar
    Data de Registo
    Nov 2006
    Localização
    Brasil
    Posts
    258

    Por Defeito

    uma foto que eu não conhecia:


  22. #142
    Piloto de Testes Salvad0r's Avatar
    Data de Registo
    Sep 2007
    Localização
    Coimbra
    Posts
    2,506

    Por Defeito

    O maior. Era puto quando morreu, e chorei baba e ranho. O meu ídolo!

  23. #143
    Piloto de Testes ks34's Avatar
    Data de Registo
    Aug 2007
    Localização
    King Kevin, The True Legend - 2 Stroke 4Ever
    Posts
    3,967

    Por Defeito

    Pessoalmente considero que a melhor F1 terá sido a dos anos 60, pelo que tenho visto e por testemunhos de pessoas desse tempo. De qualquer maneira, eleger o melhor piloto de sempre é sempre difícil, não faz muito sentido e é injusto. Cada um terá sido o melhor ou dos melhores no seu tempo e, sem dúvida, que o Senna foi dos melhores. Não o era na altura, nem é o meu preferido mas aquele Domingo foi muito dificil para qualquer pessoa aficionada à modalidade. Como podem ver pelo meu avatar, sempre tive queda para pilotos azarados , daí sempre ter preferido o Mansell, The Lion. Penso que ainda detém o record de maior nº de vitórias e poles numa só época, mas posso estar enganado pois nos últimos tempos raramente acompanho a modalidade.

    Cumps.

  24. #144
    Pedestre BoostGirl's Avatar
    Data de Registo
    Nov 2007
    Localização
    Porto
    Posts
    45

    Por Defeito

    O melhor de todos os pilotos, sem dúvida!!!

  25. #145
    Piloto Lendário Omega's Avatar
    Data de Registo
    Feb 2003
    Posts
    30,188

    Por Defeito Prost/Senna - Notável!

    Uma entrevista ao Alain Prost realizada em Outubro e que retirei de um fórum da "concorrência".
    __________________________________________________ _____

    Em notável entrevista dada à jornalista Sònia Bridi, datada de Outubro passado, o tetra-campeão francês aborda sem pruridos as questões mais polémicas que marcaram a sua passagem pela F1, com especial enfoque na sua tumultuosa e lendária rivalidade com Ayrton Senna. Das mais interessantes revelações do piloto francês, avulta o facto de ter, à data, uma óptima relação com Viviane Senna e demais família do malogrado piloto brasileiro, e de inclusive ter conjecturando com o próprio Senna a possibilidade de um dia, enquanto chefe de equipa, vir a beneficiar dos serviços do eterno arqui-rival enquanto seu piloto. Prost não se exime em, pormenorizadamente, traçar um quadro exemplificativo relativamente às diferenças da F1 actual para a do seu tempo, explica os motivos pelos quais (até em tom distendido...) o título de 1986 foi aquele que mais prazer lhe deu vencer, aborda os 3 circuitos brasileiros nos quais competiu, revela as suas melhores e piores memórias dos GP do Brasil em que interveio, e aborda a comparação entre a rivalidade de Hamilton e Alonso, extrapolando-a para os seus tempos na McLaren tendo Ayrton Senna como companheiro de equipa, não se coibindo de traçar um quadro negro do actual panorama do automobilismo fracês explicando os motivos pelos quais a França não consegue colocar talentos na disciplina máxima do desporto automóvel. A ler, definitivamente.


    Sônia Bridi entrevistou o maior rival de Ayrton Senna na Fórmula 1.

    SB - A relação homem-máquina mudou muito em 20 anos, desde que você ainda corria. Você acha que hoje a máquina é mais importante que o homem, que o talento do piloto? Era mais prazeroso ser piloto no seu tempo do que agora?

    AP - É difícil comparar, porque os tempos são outros e a tecnologia avançou bastante. Sempre foi muito importante ter um bom carro e uma boa equipe. Em primeiro lugar, a equipe e o carro têm que ser bons, senão você não ganha. Mas normalmente os melhores pilotos estão sempre em grandes equipes. Foi sempre essa filosofia e o que aconteceu no passado. Hoje é a mesma coisa, mas talvez seja menos importante para a equipe ter um grande piloto, porque hoje o piloto é menos exigido do que no passado. Não quer dizer que um grande piloto hoje não pudesse ser um grande piloto no passado, mas o que você exige dele hoje é um pouco diferente. Hoje, os carros são mais fáceis de pilotar, o que é normal, porque qualquer carro é mais fácil de dirigir, nós temos mais tecnologia. Mas o trabalho do piloto hoje é mais fácil, ele não precisa pensar em nada a não ser andar rápido. E a equipe, os engenheiros, fazem o que eles precisam fazer para ajudá-lo a ter sucesso. Antes, uma boa equipe e um bom carro exigiam muito do piloto, ele tinha que acertar o carro, ter cuidado, às vezes pilotar não muito forte para poupar pneus, combustível... Hoje isso não acontece mais. De novo, não quer dizer que hoje é ruim e era melhor no passado, porque nós temos que acompanhar a história, a tecnologia, é diferente. Mas com certeza, como espetáculo, eu preferia o que nós tínhamos no passado e tenho certeza de que os telespectadores também, porque você tinha mais show, mais surpresas, possibilidades diferentes, como um cara como eu, que larguei no México em 13º ou 14º, ganhar a corrida, se você tiver um bom carro. Hoje isso não é mais possível. Mas nós temos que nos adaptar ao nosso tempo.

    SB - Você acha que o regulamento pode ser adaptado para tornar o campeonato mais competitivo, mais emocionante como era antes?

    AP - Eu sempre critiquei o regulamento da F-1 nos últimos 5, 6, 7 anos. Porque eu não acho que esteja ajudando no espetáculo. Eu prefiro como era antes, quando não tinha parada para colocar combustível... quando tinha possibilidade do piloto escolher os melhores pneus, tinha mais escolhas, na verdade... quando se permitia que o piloto talvez poupasse os pneus, ou o carro... quando ele podia não ser o mais rápido no início da corrida para ser muito rápido no fim. Então você pode mudar o regulamento, eu não sou muito favorável ao que foi feito nos últimos anos, estou convicto de que não temos um espetáculo fantástico por causa disso.

    SB - A França tem a tradição de ter grandes pilotos, mas hoje não há um grande nome francês na F-1. Por quê?

    AP - Acho que por muitas razões. É claro que no esporte, como na vida, a gente tem ciclos, mas uma das razões pode ser "ok, nós não temos uma grande geração de pilotos", mas não é tão simples assim, nós temos bons pilotos, talvez eles não tiveram as oportunidades certas nos momentos certos, mas acho que a razão principal é que historicamente as companhias francesas como a Renault e a Elf sempre ajudaram os pilotos no início e durante a carreira, e, claro, faziam o lobby certo no momento certo, nós também tínhamos um francês como presidente da Federação, mister Jean-Marie Balestre, a gente tinha esta grande estrutura no automobilismo e, no final, mesmo que isso não ajudasse um piloto, isso nos dava autoridade, credibilidade. Hoje, esse mundo é dominado pelos ingleses, e os ingleses não gostam muito dos franceses. Então se eles têm um piloto estrangeiro e um francês, eles vão sempre preferir o estrangeiro. Então é por isso que não temos tido grande sucesso na F-1, é óbvio.

    SB - Você tem algum herdeiro, alguém que você considere seu sucessor?

    AP - No momento não, porque nós não temos grandes pilotos jovens daqueles que você não tem dúvida que será um campeão. A gente tinha certeza, quando o Ayrton surgiu, quando o Nelson surgiu, o Michael... agora o Hamilton, o Alonso... a gente tinha certeza de que seriam grandes pilotos. Na França, hoje, você tem 3, 4, 5 pilotos, mas ainda não confiamos nele, até porque a situação econômica do automobilismo na França é muito ruim, o automóvel no nosso país é muito criticado, não como esporte, como produto. Estamos sempre falando de limite de velocidade, de poluição... então é muito difícil de conseguir patrocinadores, e se você não tem um apoio econômico é difícil colocar os pilotos no topo.

    SB – Por que você acha que seu título em 86 foi o mais especial?

    AP - De um lado tinha Nelson Piquet e Mansell, com a Willians, e eu com a Mclaren. Em toda a temporada andamos atrás, em termos de performance não fomos muito bem, mas nós sempre pensamos que tínhamos que acerditar até o fim... na verdade eles estavam dividindo as vitórias, dividindo os pontos entre os dois, e criando um ambiente muito ruim entre eles. Eu não entendo isso... (risos, acho que ironizando o fato de ter passado isso com o Senna também). Eles lutaram tanto que às vezes perderam o foco, deixaram de ser racionais. Eles me esqueceram, esqueceram que eu podia ser campeão mesmo com um carro tão pior em termos de performance. E a última corrida foi sensacional, porque nós estávamos muito concentrados no nosso trabalho, eu não me concentrei nos treinos, só me concentrei pra corrida, eu sabia que a gente teria problemas com pneus, que teríamos que parar para trocá-los, nós fomos perfeitos e eles lutando entre si, cometeram erros e eu conquistei o título. Essa foi minha melhor vitória nesse ano e foi meu melhor campeonato. E hoje a gente tem uma situação bem parecida. Tem o Alonso e o Hamilton assim (batendo uma mão contra a outra), não há um ambiente tão bom na equipe, e tem também o Raikkonen, que não tem nada a perder e talvez ele possa ganhar o campeonato, a gente nunca sabe.

    SB - Quais são as melhores lembranças que você tem das corridas no Brasil?

    AP - Do Brasil, honestamente, eu sempre tive boas lembranças. Eu tive uma muito ruim. Talvez eu possa começar por essa. A pior lembrança é de 93, quando eu estava liderando a corrida, e houve uma tempestade, e eu estava planejando parar para trocar pneus, eu estava liderando com facilidade, e então recebi uma mensagem muito ruim no rádio, que não consegui entender direito, e eu entendi que minha equipe estava pedindo que eu não fosse pro box. Eu pensei que tinha havido um acidente no box. Na verdade eles estavam pedindo que eu tivesse muito cuidado porque tinha muita água na entrada dos boxes, e eu pensei que fosse uma mensagem para dar mais uma volta. E aí eu rodei por causa da chuva uns 200 metros à frente... essa foi minha pior memória do Brasil. Fora isso, eu só tive boas lembranças. É muito engraçado porque várias vezes você sabe que por causa da pista, do ambiente, da atmosfera, que você gosta, e isso acontecia no Brasil, em Mônaco, na França, que você vai já sabendo que você será feliz, será competitivo. Eu gostava de ir ao Brasil, principalmente ao Rio, porque era a primeira corrida. E a primeira corrida era sempre muito importante porque era uma das mais difíceis. Era um circuito difícil por causa do traçado, da temperatura, você saía do inverno na Europa e normalmente pegava 30, 35 graus, muito calor dentro do carro, então fisicamente exigia muito. E eu sempre adorei esse tipo de corrida, era o tipo de corrida que você não podia começar 100% e ir assim até o fim, você precisava controlar você mesmo, controlar o carro, eu sempre adorei isso.

    SB - Você já se sentiu hostilizado pelo público porque estava correndo no país do Ayrton Senna?

    AP - Quando eu comecei tinha o Nelson Piquet e numa geração seguinte o Ayrton Senna. Eu nunca senti agressividade, nunca me senti mal. Sempre senti o entusiasmo das pessoas pelo Nelson, e depois pelo Ayrton, mas nunca uma agressividade contra mim. Honestamente, eu senti muito mais hostilidade quando eu estava lutando contra o Ayrton na França. Torciam para ele no meu próprio país. Eu sempre fui ao Brasil e nunca tive guarda-costas, várias vezes andava sozinho e nunca tive medo. Eu sempre achei as pessoas muito respeitosas. Claro que elas me diziam que estavam torcendo pelo Ayrton, claro que elas sonhavam que ele ganhasse e eu perdesse, mas sempre foi uma atitude esportista, mas nunca exagerado, sempre foi muito muito bom, honestamente.

    SB - Você é um dos poucos pilotos que correu em 3 diferentes circuitos no Brasil... dois traçados diferentes no Rio e depois São Paulo. Qual deles era o melhor?

    AP - O melhor traçado era o de São Paulo, porque era uma pista inacreditável e uma corrida inacreditávek para a F-1. Em cada volta, em cada curva tinha sempre um desafio, era muito rápido e não muito segura. O Rio era muito técnico, também, mas um pouco menor, diferente, um traçado muito bom, mas São Paulo era realmente mágico. Normalmente quando se faz uma nova pista, ela é uma cópia mal feita de outra, no momento todas os circuitos são muito parecidos, não tem muitas curvas rápidas, todos têm chickanes, são muito lentos, não são muito bons. E o novo traçado de SP, que eles fizeram há uns 15 anos atrás, ficou muito bom, mantiveram as mesmas características mas aumentaram a segurança.

    SB - O fato do Ayrton Senna ter ajudado a desenhar a pista te dava mais prazer em vencer lá?

    AP - Não, não. É uma coisa que eu nunca pensei. Os pilotos às vezes ajudam, dão dicas, mas isso não significa nada. Quando eu corria na França eu tinha grande motivação para vencer, quando você está no seu país você tem mais motivação para vencer, não para ganhar deste ou daquele piloto, mas simplesmente para vencer, porque aquele é o seu país. É uma coisa verdadeira, que vem do teu coração. Quando eu estava na mesma equipe que o Ayrton, em 88, 89, e em 90 na Ferrari, eu sempre estive na Pole Position na França, eu sempre tive grande motivação, então para os adversários era mais difícil.

    SB - A gente já falou sobre 86, houve também um momento em que você e o Senna estiveram na mesma equipe, agora há o Hamilton e o Alonso... você vê semelhança nessas situações?

    AP - É muito difícil comparar quando você não está dentro da equipe, você não sabe o que está acontecendo. Em primeiro lugar você precisa entender por que as coisas estão assim e como começaram. Se você não tem esses elementos é difícil de comparar. O que eu posso dizer é que eu tinha o mesmo sentimento que o Ayrton, e não só ele como a equipe, como o Ron Dennis, de que obviamente o Ron Dennis era mais próximo do Ayrton, a Honda era mais próxima do Ayrton, e para mim era muito difícil aceitar isso. Falando de carro, tenho que dizer que nós éramos iguais. Mas mesmo que não houvesse nenhuma vantagem pra ele, eu estava psicologicamente impossibilitado de ser 100% competitivo. O lado psicológico do piloto é muito importante, você precisa ter o apoio da sua equipe, não só de algumas pessoas. Você precisa sentir que todos estão na mesma direção. Se começam a apoiar mais um dos pilotos, você não consegue... Talvez alguns consigam aceitar isso, e são fortes o suficiente para superar isso. Para mim não é possível. E talvez Alonso se sinta da mesma forma.

    SB - Você achou que a decisão de punir a Mclaren mas não punir os pilotos foi a decisão correta?

    AP - Eu acho que mesmo que o piloto não esteja envolvido, se houve espionagem na equipe, no final das contas quem terá vantagem será o piloto. Então eu diria "não, se você puniu a equipe tem que punir o piloto, mesmo que seja duro para o piloto". Mas para mim a decisão de punir a Mclaren... de novo, eu não estou totalmente por dentro da situação, mas na minha opinião, a punição foi muito dura.

    SB - Qual é a sua participação na F1 hoje?

    AP - Eu sou mais um observador. Eu ainda estou envolvido em algumas coisas, mas de forma bem leve, eu prefiro ficar um pouco mais afastado no momento.

    SB - Não sente saudade?

    AP - Para ser sincero, não. Eu acho que F-1 mudou muito. Eu ainda tenho o amor, ainda tenho a paixão, mas não acho que a contribuição que eu poderia dar a uma equipe seria muito grande, porque a organização das equipes hoje é diferente. Pessoas como eu não acrescentariam muita coisa. Talvez para um piloto, mas para a equipe... E ainda tem as viagens para as corridas... eu fico me perguntando se vale a pena...(risos)

    SB – O que você acha do seu filho seguir a carreira de piloto? Você o ajuda?

    AP - Eu não estou o ajudando muito no início porque eu quero que ele faça as coisas sozinho, ele já me mostrou que é muito apaixonado e ele está indo muito bem. Estou muito orgulhoso, ele está trabalhando muito para isso e está me surpreendendo, ele tem uma mentalidade muito profissional... vamos ver, quem sabe ele pode fazer algo muito interessante. Eu não sei se o talento é genético, mas pelo menos ele tem a mesma curiosidade, o mesmo profissionalismo e isso é muito bom.

    SB - A Viviane, irmã do Senna, me falou de você com muito carinho. Disse que depois do acidente dele, você foi ao Brasil visitar a família dele, ficou na fazenda deles, e foi muito importante pra eles...

    AP - Eu quis vir ao Brasil, para o enterro, mas eu não sabia se seria bem aceito pela família e pelos fãs. Eu não queria ofender ninguém, mas eu queria estar lá. Quando o Ayrton morreu, foi o final da minha história na F-1, de um certo modo. Nós fizemos a história juntos. Eu acho que eu era mais ou menos como um ídolo pra ele, mas ele queria me derrotar. Ele realmente queria me derrotar, me destruir, porque essa era a motivação dele. Eu realmente queria ir ao Brasil, e foi muito importante pra mim ter estado com a família dele com os fãs. Quando ele morreu, todos vieram falar comigo. E isso é muito impressionante. Ninguém pode falar do Ayrton sem mencionar meu nome e de mim sem falar do Ayrton. E mesmo hoje, mais de 20 anos depois da nossa primeira briga, nós sempre voltamos a essa história. Foi importante passar um tempo com a família dele, eu percebi um pouco melhor quem ele era, eu entendi muitas coisas e até hoje mantenho contato com a família dele, temos um bom relacionamento, e isso é o mais importante.

    SB - Qual é a lembrança que você tem dele?

    AP - Os maus momentos pelos quais passei foi com ele na pista. Alguns momentos perigosos, em que eu pensava que às vezes ele tinha ido muito longe. Mas isso é nossa história. Mas dois ou três meses antes do acidente dele eu acho que eu conheci o verdadeiro Ayrton.

    SB - Ele falou com você no dia em que morreu...

    AP - Foi um momento inacreditável. Não só no dia do acidente, mas nos dias anteriores, nós nos falamos bastante por telefone. Em vários anos lutando na F-1 nós quase nunca nos falamos por telefone, mas nos últimos 2 ou 3 meses ele me ligava, falava sobre a motivação dele, dizia que não estava feliz com o carro dele, que não estava feliz com a equipe, ele estava convencido de que Benneton e Michael Schumacher estavam trapaceando, usando recursos eletrônicos proibidos, então ele tava muito chateado com isso, ele me perguntou 2 ou 3 vezes se eu queria participar de uma comissão de segurança na associação de pilotos, ficamos muito tempo no telefone uma semana antes de ele morrer. Quando eu cheguei para a corrida de Ímola, na sexta-feira, para comentar a corrida para uma televisão francesa, nós tivemos uma primeira discussão sobre segurança, no sábado também, houve o acidente com o Ratzenberger, com o Rubens Barrichello... não era o Ayrton que eu conhecia, ele estava realmente preocupado, mais do que preocupado, por diferentes razões, com certeza por vários motivos, mas ele estava incomodado. No domingo, na hora do almoço, um pouco antes da corrida, eu estava com umas pessoas da televisão e ele entrou. Nenhum piloto faz isso, normalmente ele quer ficar sozinho, concentrado, mas ele veio, andou entre as pessoas, veio falar comigo... e não era nada de importante. Todo mundo ficou assistindo aquilo, em silêncio. Parecia que ele queria estar próximo de mim. Eu senti aquilo como sinal de fragilidade. Era a primeira vez que eu o via assim, ele era sempre muito forte, quando nós lutávamos ele fazia as pequenas coisas para me mostrar como era mais forte que eu, o que é normal, é parte do jogo. Mas nesse dia, eu pensei "esse não é o Ayrton, ele está frágil". Ele perdeu 5, 10 minutos, para vir falar comigo para nada, e depois voltou pra garagem. Então eu terminei o almoço bem rápido e fui encontrá-lo. Eu entrei na garagem e ele estava se preparando para a corrida, sozinho, eu falei com ele 2 ou 3 minutos, perguntei pra ele o que ele estava esperando da corrida, ele disse que não estava muito confiante, falou sobre a competição, sobre a suspeita de trapaça, um pouco mais sobre segurança, mas ele estava feliz por eu ter ido lá falar com ele, e esse foi a última vez que falei com ele. E eu realmente me senti mal por ele, porque eu nunca tinha o visto assim. Eu tinha certeza que ele não seria campeão naquele ano, porque mesmo que ele lutasse no carro, eu sentia que ele estava deprimido... não quero fazer nenhum tipo de especulação... mas pra mim, como pessoa, vou sempre lembrar daquele dia e de manhã, quando ele disse na tv, "alain, tenho saudades de você". Essas palavras ele me disse várias vezes por telefone, quando ele explicava pra mim que não conseguia encontrar motivação para correr contra... não sei quem, michael e os outros pilotos... E ele me disse: "por favor, volte". Eu fiquei rindo, disse: "ok, vou pegar um carro ruim, você vai bater em mim..." "é, mas eu preciso de você", foi realmente inacreditável, inacreditável, uma bela história mas com um final ruim.

    SB - Você acha que no final ele te considerava um grande irmão, no final?

    AP - (silêncio). Não. Não acho. Talvez no final, mas no começo eu era como um alvo pra ele. Quando ele perdeu esse alvo, ele perdeu o rumo... é engraçado, uma vez estávamos conversando e falamos sobre a possibilidade, quem sabe um dia, de eu ser chefe de uma equipe e ele ser meu piloto... mas sermos como irmãos, eu não sei... Mas ao menos construimos alguma coisa juntos e isso foi forte. Não causamos graves acidentes, não nos machucamos quando lutávamos, e no final parecia que seria uma história ruim que terminaria bem. Mas ele era realmente diferente, eu sempre disse que o Ayrton era diferente, você não pode querer compará-lo ele com outro piloto, ele era realmente diferente.

  26. #146
    Banido Zix's Avatar
    Data de Registo
    Sep 2007
    Posts
    8,199

    Por Defeito

    fónix!!

  27. #147
    Banido Zix's Avatar
    Data de Registo
    Sep 2007
    Posts
    8,199

    Por Defeito

    Citação Originalmente Colocado por HenryMüller Ver Post
    uma foto que eu não conhecia:

    tenho este em miniatura da minichamps.

  28. #148
    Piloto de Rallye 330i's Avatar
    Data de Registo
    Feb 2007
    Localização
    Azeitão
    Posts
    11,410

    Por Defeito

    interessante este lado mais intimista dos 2 pilotos, nao o conhecia, (gracias omega!) e são as minhas duas referencias da F1 (conheci os 2 pessoalmente em 1992, numa visita patrocinada por dentro ao GP do Estoril ) e desde aquele Domingo de Maio de 1994, a F1 nunca mais teve o mesmo interesse para mim.

  29. #149
    Piloto de Rallye SenhorVX's Avatar
    Data de Registo
    Jul 2004
    Localização
    LX
    Posts
    12,553

    Por Defeito

    Como grande fã do Senna e seguidor da sua carriera desde o inicio, até me arrepiei a ler esta entrevista.

    Como estes dois nunca mais vai haver.

    Algumas coisas já não eram novidade pra mim mas algumas eram, como o conteudo das conversas ao telefone dos 2....

  30. #150
    Moderador MGomes's Avatar
    Data de Registo
    Dec 2003
    Localização
    Ribatejo
    Posts
    23,557

    Por Defeito

    Citação Originalmente Colocado por Senhor_VX Ver Post
    Como grande fã do Senna e seguidor da sua carriera desde o inicio, até me arrepiei a ler esta entrevista.

    Como estes dois nunca mais vai haver.

    Algumas coisas já não eram novidade pra mim mas algumas eram, como o conteudo das conversas ao telefone dos 2....

    No tempo destas corridas eu era "adepto" do Alan Prost ...
    ... e das ultrapassagens impossiveis do Keke Rosberg

    entrevista interessante.
    Grandes pilotos ...

Tópicos semelhantes

  1. 14 Anos sem Ayrton Senna.
    Por domfillas na secção Desporto Automóvel
    Respostas: 50
    Último Post: 19-11-11, 10:54:10
  2. Ayrton Senna drives NSX on track 5*
    Por Invisible Man na secção Multimédia
    Respostas: 24
    Último Post: 12-03-09, 19:14:46
  3. 1º Vitória de Ayrton Senna da Silva
    Por raioxpantera na secção FÓRUM GERAL
    Respostas: 1
    Último Post: 11-06-06, 14:45:01
  4. Ayrton Senna 3D
    Por Omega na secção Multimédia
    Respostas: 3
    Último Post: 15-02-06, 22:24:39

Regras de Colocação

  • Não pode criar tópicos
  • Não pode responder
  • Não pode colocar anexos
  • Não pode editar os seus posts
  •  

A Motorpress Lisboa S.A. não pode ser responsabilizada pelas opiniões, imagens, links ou outros conteúdos submetidos pelos utilizadores deste Fórum.
Este Website encontra-se registado na Comissão Nacional de Protecção de Dados.